jump to navigation

Querer, Pensar, Sentir, Estar…em Casa. maio 29, 2009

Posted by Felipe "Dero" in You and Me.
Tags: , , , , , , ,
trackback

Home

Home

Após quase cinco meses de pura viagem, sem destino, simplesmente indo conforme a correnteza, me fixei em Ibitinga, São Paulo, Porto Alegre, Praia Grande…E vi, passei por, conheci centenas de cidades diferentes, via rostos e olhares de milhares de pessoas que também possuem seus problemas particulares, mas sempre tinham um momento reservado pra sí. Hoje, após toda a batalha, todo o cansaço, a fadiga, a dor, voltei, estou em casa, aos poucos vou me reabilitando ao sentimento de estar em casa, de me sentir confortável, de resgatar minha liberdade e privacidade adormecida por meses, trazendo a tona um pedaço de mim que estava ali, quieto, adormecido, esperando o momento certo. Um dia, antes do começo de minha jornada, um amigo me disse: “Vá, mas vou te buscar, ou melhor, você vai saber a hora de voltar”, e de fato, eu soube a hora de voltar, e cá estou eu, em casa, no meu berço.

Praia Grande

Praia Grande

Mas ainda me encontro em conflito interno, parte de mim está feliz de estar de volta, a outra, gostaria de ter continuado minha jornada mundo a fora, mais pra ser exato, a outra, gostaria de estar em Porto Alegre. Sim, de fato me apaixonei pela cidade, pelas pessoas, pelo calor e pelo frio, pelo calor das pessoas e pelo frio ambiente, sinto falta de momentos entre pessoas já queridas, mas sei que, esse era o momento, e hoje sinto que em breve estarei de volta aquela cidade que tão bem me acolheu, que tanto me ensinou e que tão bem me apresentou as pessoas certas a quem devo hoje respeito, orgulho e paixão.

Porto Alegre

Porto Alegre

Mas sabe, estar de volta em casa é tão bom, tão libertador, apesar dos sentimentos que aqui me reaviva, é bom estar neste cantinho quente do mundo que eu posso chamar de meu. Desde que cheguei, revi pessoas importantes para mim, porém, comprovei algo que já sabia, esse não é mais meu mundo, não este que essas pessoas vivem, não vejo mais graça em sair todo dia pra beber, esquematizar uma balada para o meio da semana, falar besteiras a toa e perder tempo valioso, parece até careta, mas na realidade, eu vi o mundo e com isso, como disse ao

Happy Hour

Happy Hour

André, “Tá na hora de por a cabeça nos trilhos”, e de fato, está, já comecei, estou praticando, e vai ser um desafio interessante viver próximo ao passado, mas transformando-o num presente completamente diferente, e eu já me realizei ao ver que eu sou capaz de fazer tal coisa, quando o passado bateu na porta, mostrando as tentações, eu simplesmente, não senti a vontade, e preferi ficar aqui, no cantinho quente, quieto, curtindo cada segundo, sem precisar de nada a mais. Lógico, sou jovem, sou humano, sair, beber, curtir, se divertir, vai continuar acontecer, mas em diferentes circunstâncias, como teria dito um grande e recém conquistado amigo em Porto Alegre, a vida merece um happy-hour, o homem, precisa de uma noite entre pessoasqueridas para que se renove suas energias . E de fato, é assim mesmo que acontece.

OceanAir Fokker-100

OceanAir Fokker-100

Falando um pouco sobre a viagem, foi convidativa, foi minha primeira viagem de avião, apesar do que todos dizem sobre a aeronave que eu voei, um Fokker-100 da OceanAir, eu sinceramente, amei, e concordo com as palavras de minha mãe, “(…) ele não quis dizer, mas ele se sentiu em casa, no meio das nuvens, voando, sem, porém, com destino, mas, viajando(…)”, realmente, me senti em casa, me senti num ambiente que já me parecia familiar, mas vai entender, né? É divertido desembarcar no Aeroporto Internacional de Guarulhos e ver aquela porção de rostos, linguas, nacionalidades, tudo dentro de um único espaço, único rush. Cansativo é as horas dentro do ônibus até Praia Grande, mas, vale a espera, afinal, é pra casa. Quando cheguei em terras tupiniquins, me deparei com uma ironia, esqueci o nome da rua de casa, de onde eu moro por 15 anos, mas, isso é engraçado agora, antes, absurdo, agora simplesmente engraçado.
Já vinha me esquecendo, da despedida, aquela sexta-feira de sol em Porto Alegre, 20 de Maio de 2009, foi intrigante ao seu começo, rotina de viagem, arrumar malas, verificar últimos detalhes, e quando finalmente sentei, sem mais o que fazer, já tinha escurecido, dei uma ultima volta pelas avenidas, comprei cigarros, voltei, sentei novamente, sem ainda entender que de fato, próxima parada, casa, que dentro de vinte e quatro horas estaria no meu cantinho. O clima estava nebuloso, todos meio receosos, sem muita conversação, parecia que todos estavam procurando medir suas palavras, para que nada de errado saísse acidentalmente, e esse clima lúbrico tava sobre-carregado, tava na hora de alguém falar e estava na hora do ultimo brainstorm. Chamei o Pablo, ele sentou, fiz uma playlist, um pouco de Archive, um pouco de Portishead, um pouco de tudo que tornou momentos especiais. Quando tudo estava pronto, sentei-me, nos olhamos e quietos permanecemos por uns segundos, que duraram anos, até que ele tomou a iniciativa, sabendo que aquela conversa iria ser difícil, dolorosa, mas, uma hora teria de acontecer, não poderia, de maneira nenhuma, ir-me sem aquela conversa final. Resgatamos momentos, situações, lições, falhas, rimos, choramos, cantamos e enfim, nos cumprimentamos, como sempre fizemos em momentos que foram especiais, que marcaram por alguma forma, e ali deixamos o nosso “Até Logo”. A noite foi difícil, a ansiedade da viagem crescia, os pensamentos de uma jornada vinha em mente, filmes e filmes passavam pela minha cabeça, era difícil de dormir. Eu teria que estar no Aeroporto Salgado Filho ás nove da manhã, fui conseguir pegar no sono…as cinco. Quando foi as oito, acordei, me preparei, ultimas checagens, tudo pronto…enfim…hora de ir. Uma despedida breve com a Tia Melina, para não criarmos um momento desnecessário, e de lá, fomos ao meu destino…

Hora de Voar!

Hora de Voar!

Mas agora, desde a chegada, situações que eu, de fato, não esperava aconteceram, como, um inesperado e-mail da Tia Melina, demonstrando o quão importante foi minha estadia em sua casa, o quanto ajudei, o quanto ensinei, demonstrei e o mais importante, ajudei a aproximar mãe e filho e transforma-los em, amigos. No dia seguinte deste e-mail, recebi uma ligação do Lauro, me dizendo que eu fiz a diferença, que eu deixei minha marquinha no coração e que sou uma pessoa querida, um amigo, e vindo dele, eu considero isso uma enorme conquista particular, por que, para exemplo de ser humano, é ele, Lauro Santos, e espero em breve, estar contigo novamente, meu amigo.

Blergh!!!

Blergh!!!

Andei mal fisicamente, sofri uma intoxicação alimentar, fiquei bem debilitado, minha hérnia está inflamada e eu sem nem ao menos me importar, sai pra rever os amigos e ela travou meu pescoço, que no entanto, até agora, ficar meia hora na frente do computador já me da dores, mas aos poucos, vou melhorando. Meu avô não anda bem de saúde, devido a falta de remédios, minha tia veio busca-lo para passar por médicos em São Paulo, minha mãe foi junto, e desde então, estou aqui, solitário em minha casa, e tem sido uma experiência muito boa, estou me recuperando, estou curtindo esse momento de total solidão, quietinho em casa, vendo filmes, fazendo almoço, ouvindo música e até mesmo…fazendo nada.
Só espero que, a partir de agora, as coisas começem e render, acontecer e se realizarem, nós merecemos, eu, mereço. Mas aos que ficaram pelos caminhos de minha jornada, saibam, eu voltarei, breve, muito breve.

Enhanced by Zemanta

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: